Figuras de Linguagem - Aula 08 - Parte III
AULA 08 - A Linguagem Figurada - Parte III

AULA 08 - Figuras de Linguagem - Parte III

AULA 08

– A Linguagem Figurada –

Parte III

 

INTRODUÇÃO

Como você já deve ter percebido, a aula 08 está dividida em 3(três) partes. Qual o nosso propósito com essa divisão? Que você treine cada parte cuidadosamente. Isso, todavia, não significa que na prática elas estão separadas. Não! Na prática você deve aplicar simultaneamente. Sou missionário desde 93 e tenho constatado dia-a-dia que somente a prática pode conduzir-nos à eficiência. Por esta razão, insto a todos os mais milhares de participantes deste curso que não se deixem omitir-se desta bendita responsabilidade.

 

COMPREENDENDO O USO FIGURADO DAS PALAVRAS

 

  1. CONHEÇA O “TROPOS” NA BÍBLIA.

Não se assuste com o nome “Tropos”! “Topos” são as figuras de linguagem em que uma palavra ou expressão é usada num sentido diferente daquele que lhe é próprio.

Existem vários “tropos”. Veja:  sinédoque, a antonomásia, a ênfase, a lítotes (“atenuação”), a hipérbole, a metonímia, a metáfora, a perífrase, a ironia e a metalepse (um tipo raro de metonímia).

Os principais tropos(figuras de linguagem) são a metáfora, a metonímia e a sinédoque.

Permaneça calmo! Lá, mais adiante, você entenderá como perceber um “tropos” facilmente!

  1. “A METÁFORA pode ser chamada de comparação não-expressa”. O que é isso?

É simples! É quando se usa o objeto de comparação no lugar do comparado. Com exemplo fica mais fácil.

Olha só o que Jesus disse em Lc 13.32: “Ide dizer a essa raposa”.

Sobre quem Jesus falava? Sobre Herodes.

Mas Jesus não disse: “Herodes é como uma raposa”. Ele chamou Herodes pelo nome do objeto de comparação, isto é, “raposa”. ESTA COMPARAÇÃO É BASEADA NUMA SEMELHANÇA, isto é, o comportamento de Heródes se assemelha ao comportamento de uma raposa.

Nos dias de hoje, pessoas que usam muitas metáforas são facilmente confundidas, pois nos tornamos mais tolhidos no uso de linguagens. Na época de Jesus, enfim, nos tempos bíblicos, isso era muito comum. O Senhor Jesus é um mestre das metáforas.

Nas metáforas usadas por Jesus há uma riqueza imensurável de revelação, especialmente sobre Ele mesmo. Veja algumas:

– “Eu sou a luz do mundo” – João 8.32

– “Eu sou o pão da vida” – João 6.35

– “Eu sou o caminho” – João 14.6

– “O Senhor é a minha rocha” – Sl. 18.2

Observe mais uma vez que ele não disse assim: “Eu sou aquele que te leva ao Pai”. Ele disse: “Eu sou o caminho”.

Observe que quando Ele usa uma metáfora ela tem o poder de ser simples, tão simples que uma criança pode vir a entendê-la, mas tão profunda de significado que a mente mais arguta do mundo deverá reconhecer o poder de suas palavras. Ele não disse: “Eu um alimento para a vida”. Ele disse ser o único alimento indispensável para a vida (pão).

Como exercício, descubra algumas metáforas que você vê na Bíblia e comente a que mais gostar no post desta aula:

POST DESTA AULA AQUI

Acredito que agora podemos reconhecer uma metáfora à distância. Berkof porém, ressalta que há dois tipos de metáforas na Bíblia que se referem ao Ser Divino e merecem atenção especial: 1) antropopatismo e 2) antropomorfismo.

1) ANTROPOPATISMO – “anthropo” (homem) + pathos (paixão, desejos, emoções)

Esse tipo de metáfora usa as paixões, emoções e desejos humanos atribuídos à Deus. Veja alguns exemplos em Gn 6.6; Dt 13.17; Ef 4.30.

“Então arrependeu-se o Senhor de haver feito o homem sobre a terra e pesou-lhe em seu coração” – Gênesis 6:6 (ACF).

A palavra “arrependeu” e a expressão “pesou-lhe em seu coração” são metáforas. Não significa exatamente o mesmo sentimento humano.

2) ANTROPOMORFISMO – “anthropo” (homem) + “morfhe” (forma)

Esta metáfora se referindo a Divindade usa os membros do corpo humano e suas atividades físicas. Veja algumas em Ex 15.16; Sl 34.16; Lm 3.56; Zc 14.4; Tg 5.4.

“O lamento dos ceifeiros chegou aos ouvidos do Senhor dos Exércitos”.(Tiago 5:4)

“Ouvidos” neste verso é uma metáfora do tipo antropomorfismo.

2. As METONÍMIAS são fartas na Bíblia.

Esta palavra metonímia vem do grego “μετωνυμία”, transliterado se lê “metonymía”, e significa “além do nome” ou “mudança do nome”.

A diferença da metonímia para a metáfora é que, enquanto a METÁFORA é baseada numa SEMELHANÇA(exemplo: Heródes comporta-se como uma raposa, por isso Jesus o chamou de “raposa”) a metonímia(e a sinédoque, veremos à frente), é baseada numa RELAÇÃO. Veja o que é basear numa RELAÇÃO com o exemplo abaixo.

Na parábola do rico e Lázaro, Abraão diz, “Eles têm Moisés e os profetas”, Lc 16.29. Abraão, naturalmente queria dizer os escritos de Moisés e dos Profetas.

O que podemos dizer sobre as RELAÇÕES da metonímia? É que são relações de:

– causa e efeito

– progenitor e posteridade

– sujeito e atributo

– sinal e objeto significado

Outros exemplos de metonímia:

– 1 Ts 5.19: “Não apagueis o Espírito” – se refere às manifestações especiais do Espírito.

– Is 22.22: “a chave da casa de Davi” – transmite a idéia de controle sobre a casa real

– At. 7.8: A circuncisão é chamada de aliança, porque era um sinal da aliança.

 

 

3. Sinédoque (palavra tem origem grega, synekdoche (συνεκδοχή), que significa “entendimento simultâneo”). Parece-se muito com a metonímia, mas a RELAÇÃO na qual é encontrada é mais física do que mental. Além disso, geralmente se faz uma relação entre o TODO e a PARTE.

Vejamos alguns exemplos atuais para facilitar:

– Sou alérgico a cigarro. (O cigarro é a causa: a fumaça, o efeito. Podemos ser alérgicos à fumaça, mas não ao cigarro). Note que “cigarro” é o TODO que substitui uma parte do cigarro, a fumaça. Então, para não dizer “Sou alérgico à fumaça do cigarro” se diz apenas “Sou alérgico a cigarro”.

Vamos ver alguns exemplos bíblicos:

1) Jefté foi sepultado “nas cidades de Gileade” (Jz 12.7- na edição revista e corrigida).

Você deve estar se perguntando: “Como eles conseguiram essa façanha?” (rsss) Será que esquartejaram o corpo de Jefté e sepultaram cada parte em uma cidade? Não. Certamente foi em uma cidade apenas da região montanhosa a leste do rio Jordão que se chama Gileade.

2) Em At 27.37 está escrito: “Estavam a bordo duzentas e setenta e seis almas.”(RC).

O que é isso? Lucas estava falando e duzentos e setenta e seis “fantasminhas”?

Ele certamente estava falando de pessoas. Isso pode ser facilmente compreendido quando você consulta outras traduções, como já ensinamos na AULA 05.

CUIDADOS A SEREM MANTIDOS

TOME CUIDADO PARA NÃO FORMAR DOUTRINAS A PARTIR DE FIGURAS DE LINGUAGEM.

Certas Igrejas no Estado da Vigínia Ocidental, EUA, usam a prática de manipulação de serpentes no culto para provar a fé dos fiéis, baseando-se em Marcos 16: 17-18: “Estes sinais seguirão aos que crerem: Em meu nome… pegarão nas serpentes; e, se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum”.

Naturalmente “serpentes” no texto em questão é uma FIGURA DE LINGUAGEM significando que os cristãos recebem poder para enfrentar “perigos graves”. Mas o pastor George Hensley resolveu interpretar LITERALMENTE, isto é, ignorando a FIGURA DE LINGUAGEM usada por Jesus. A interpretação dessas igrejas é absurda em todos os sentidos, além de ser bizarra essa prática. Não é o objetivo desta aula explicar esse texto, somente usá-lo como exemplo e fazer uma convocação aos alunos do nosso CURSO GRATUITO DE INTRODUÇÃO À PREGAÇÃO DA PALAVRA DE DEUS, que não caiam nesses absurdos – sejam fiéis à Palavra de Deus meus irmãos!

Há também as EXPRESSÕES/PENSAMENTOS com sentido FIGURADO. Exemplo:

“Portanto, se o teu olho direito te escandalizar, arranca-o e atira-o para longe de ti; pois te é melhor que se perca um dos teus membros do que seja todo o teu corpo lançado no inferno. E, se a tua mão direita te escandalizar, corta-a e atira-a para longe de ti, porque te é melhor que um dos teus membros se perca do que seja todo o teu corpo lançado no inferno”, Mateus 5:29-30.

Obviamente Jesus não está receitando ninguém “arranca-o e atira-o para longe de ti” LITERALMENTE. Isso é uma LINGUAGEM FIGURADA.

PARA VOCÊ MEMORIZAR, DEIXO UMA DICA FINAL:

TODA VEZ QUE VOCÊ LER UM TEXTO NA BÍBLIA E UMA PALAVRA INTERPRETADA LITERALMENTE LHE SOAR ESTRANHO, PARE! OLHE! E ESTUDE-A!

Veja um exemplo:

Jesus disse: “Eu Sou a porta. Qualquer pessoa que entrar por mim, será salva. Entrará e sairá; e encontrará pastagem ”. Como assim? Jesus é a porta? Soou estranho, não? Sim, soou. Então “porta” não pode ser interpretada literalmente. É linguagem figurada.

Sempre procure interpretar literalmente, exceto quando não for possível.

 

 

 

CONCLUSÃO

Você não precisa memorizar esses nomes todos, mas deve estar ciente de que palavras com sentido figurado são fartas na Bíblia. Péssimas interpretações são feitas por falta de conhecimento básico do assunto e o aluno deve esta atento.  Interprete o texto LITERALMENTE, mas fique atento à LINGUAGEM FIGURADA(TROPOS) seja PALAVRAS COM SENTIDO FIGURADO ou EXPRESSÕES.

Leia também um artigo em nosso Blog “Auxílios Internos para se Determinar se o Sentido Pretendido é Figurado ou o Literal”

Deixe seu comentário aqui: