AULA 08 - O SIGNIFICADO DAS PALAVRAS NO SEU CONTEXTO - PARTE II
Aula 08 Parte II

AULA 08 - O SIGNIFICADO DAS PALAVRAS NO SEU CONTEXTO - PARTE II

  • O Significado das Palavras no Seu Contexto – Usus Loquendi

Na aula anterior vimos que no estudo das palavras isoladas, a questão mais importante não é quanto ao significado etimológico, nem mesmo quanto aos vários significados que elas adquiriram gradualmente. A questão essencial é quanto ao seu sentido particular no contexto em que ocorre.

O intérprete deve determinar se a palavra é usada no seu significado geral ou num dos seus significados especiais. Sobre o sentido sentido literal ou figurado, teremos uma aula específica.

Já nesta aula, veremos o estudo das palavras no seu contexto,  para isso basta atentar para alguns princípios. Mais uma vez, nosso livro texto para esta aula é “Princípios de Interpretação Bíblica – Para Orientação individual no estudo das Escrituras e para uso em seminários e institutos bíblicos”de Louis Berkhof – Editora Cultura Cristã. Seria bastante enriquecedor o aluno tê-lo e estudá-lo.

 

  1. O SENTIDO DO TEXTO BÍBLICO É O QUE SE ENCONTRA NO SEU SENTIDO GRAMATICAL

“A Linguagem da Escritura Deve Ser Interpretada de Acordo com Seu Significado Gramatical; e o Sentido de Qualquer Expressão, Proposição ou Declaração Deve Ser Determinado Pelas Palavras Usadas” (Muenscher, Manual of Biblical Intetpretation, 107).

Vamos colocar isso de forma simples. O que Deus quis nos falar pelas Sagradas Escrituras não tem outra forma de ser compreendido senão pelo que está gramaticalmente expresso na Bíblia. Por isso, o intérprete deve sempre procurar o significado gramatical do texto.

Veja dois exemplos muito simples disso na prática:

Quando Jesus disse:

“Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao pai, senão por mim”(Jo. 14.6)

O leitor deve prestar atenção nos artigos “o” e “a”. São artigos definidos. Isso quer dizer que não há uma alternativa à Cristo. Ele é “o caminho”, não “um caminho”.

Há casos mais complicados que precisam de maior atenção e estudo. Citaremos somente de relance para que o aluno seja instigado a buscar compreender:

“Havendo Deus antigamente falado muitas vezes, e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, a nós falou-nos nestes últimos dias pelo Filho” (Hebreus 1:1)

Observe o verbo “falado”. Em que tempo verbal está este verbo? Isso é uma questão gramatical.

Qual será o que o verbo quer dizer:

  • Deus falou num passado distante e já há muito não fala mais?
  • Deus falou até pouco tempo e parou provisóriamente de falar?
  • Deus falou no passado e continua falando?

O que imediatamente vem à sua mente é a sua opinião e aquilo que você quer que o texto esteja dizendo, mas o correto é buscar o sentido desse verbo no tempo verbal em que ele foi escrito.

Isso é ser fiel ao texto.

  1. Uma Palavra Pode Ter Apenas um Significado Fixo no Contexto em que Ocorre.

Vamos ver um exemplo primeiro, depois explicamos:

A palavra grega sarks (em nossas bíblias traduzida como “carne”) pode ter os seguintes sentidos:

Suponha que você tenha iniciado sua vida de fé recentemente. E você escuta o pregador fazendo severas admoestações pedido a igreja que não se deixem dominar pela “carne”.

No dia seguinte você está em casa e lê João 6.53, que diz:

“Jesus lhes disse: “Eu lhes digo a verdade: Se vocês não comerem a carne do Filho do homem e não beberem o seu sangue, não terão vida em si mesmos”.

Pronto! A confusão está à próxima! Afinal, você está prestes a atribuir pecado, num sentido ético, a Cristo, a quem a Bíblia apresenta como aquele sem pecado.

É preciso saber quais os sentidos da palavra “carne” na Bíblia(neste caso, no Novo Testamento) e que NESTE CONTEXTO DE JOÃO 6.53, ELA TEM SOMENTE UM SENTIDO.

 

SENTIDO DA PALAVRA “CARNE”

REFERÊNCIA

01

A parte sólida de um corpo, exceto os ossos

(ICo 15.39; Lc 24.39)

02

Toda a substância do corpo, quando é sinónimo de soma

(At 2.26; Ef2.15; 5.29)

03

A natureza animal (sensual) do homem

(Jo 1.13; 1 Co 10.18)

04

A natureza humana enquanto dominada pelo pecado, lugar e veículo dos desejos pecaminosos

(Rm 7.25; 8.4-9; G15.16,17)

Em João 6.53, qual dos sentidos acima Jesus usou a palavra “carne”?

Pode parecer assustador nosso Senhor falando em comer “sua carne” no sentido 01 da tabela, mas espere pela próxima aula em que trataremos do sentido FIGURADO das palavras.

Esse método de interpretação foi favorecido por Coccejus, que advogou o princípio de que todos os significados possíveis de uma palavra nas Escrituras devem ser unidos; mas o intérprete deve tomar cuidado com esse método de procedimento arbitrário.

A partir deste ponto, transcrevo exatamente o que está em nosso livro texto com o objetivo de falar das nuances dos princípios anteriores

  1. Casos em que Vários Significados de uma Palavra São Unidos de Tal Forma que Resultam numa Unidade Maior que não se Choca com o Princípio Precedente.
  2. A) Algumas vezes uma palavra é usada no seu sentido mais geral a fim de incluir seus significados especiais, embora estes não sejam enfatizados. Quando Jesus disse aos discípulos em Jo 20.21: “Paz seja convosco”, ele queria dizer paz no sentido mais amplo – paz com Deus, paz de consciência, paz entre eles mesmos, etc. E quando Isaías diz em 53.4; “Certamente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades”, ele certamente se refere às doenças espirituais, das quais o Servo do Senhor libertaria seu povo. Mas Mt 8.17 nos diz que essa palavra foi cumprida no ministério de cura do Salvador. A palavra de Isaías é, consequentemente, tida como não somente significando que o Servo do Senhor libertou seu povo das doenças espirituais, isto é, do pecado, mas também das enfermidades físicas resultantes.
  1. B) Há, também, casos em que um significado especial de uma palavra inclui outro, o que não se choca com o propósito e o contexto da passagem em que se encontra. Sob tais circunstâncias, é perfeitamente legítimo unir os dois. Quando João Batista diz “Eis o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo”, ele usa a palavra (airo) que significa

(1) assumir e

(2) levar embora.

Nessa passagem, o último significado predomina claramente, mas inclui naturalmente o outro. Jesus não poderia tirar o pecado sem tomá-lo sobre si.

  1. C) Às vezes, um autor usa uma palavra num sentido sugestivo para indicar muito mais do que ela realmente expressa. Isso é especialmente feito na sinédoque, quando uma parte representa o todo. Quando o Salvador ensina seus discípulos a orarem: “Dá-nos o pão de cada dia”, a palavra “pão” representa as necessidades da vida em geral. E, quando a Lei diz: “Não matarás”, ela proíbe, de acordo com a interpretação de Jesus, não meramente o assassinato, mas também a raiva, o ódio e a implacabilidade.

O intérprete, no entanto, deve ser cuidadoso em não combinar arbitrariamente os vários significados de uma palavra. Ele pode encontrar casos em que aparentemente dois ou mais significados de uma palavra se encaixem igualmente bem e ser tentado a tomar o caminho fácil de combiná-las. Mas isso não é boa exegese. Muenscher é de opinião que, nesses casos, o significado que exibe o sentido mais completo e fértil deve ser escolhido. No entanto, é melhor suspender o julgamento até que estudos adicionais garantam a escolha definitiva.

  1. Se uma Palavra É Usada no Mesmo Sentido Mais do que uma Vez, a Suposição Natural É de que Ela Tem o Mesmo Significado em Toda Parte.

Um autor não usaria ordinariamente a mesma palavra em dois ou três diferentes sentidos numa única passagem. Isso iria, sob circunstâncias ordinárias, levar à confusão. Porém, há algumas exceções à regra. Em algumas poucas passagens, uma palavra é repetida com uma mudança de significado. Mas esses casos são de tal natureza que o perigo de mal-entendido é eliminado. O caráter da expressão do contexto faz com que seja suficientemente claro o fato de que a palavra não tem o mesmo sentido em ambos os casos. Os seguintes exemplos serão suficientes para ilustrar isso: Mt 8.22, “deixa aos mortos o sepultar os seus próprios mortos.”; Rm 9.6, “porque nem todos os de Israel são, de fato, israelitas”; 2Co 5.21, “Aquele que não conheceu pecado, ele o fez pecado por nós; para que, nele, fôssemos feitos justiça de Deus”.

Clique na imagem abaixo para acessar o artigo

Auxílios Internos para a Explicação de Palavras
Auxílios Internos para a Explicação de Palavras

Deixe seu comentário aqui: