AUXÍLIOS EXTERNOS PARA A INTERPRETAÇÃO GRAMATICAL DA BÍBLIA - Conecteca da Vida

AUXÍLIOS EXTERNOS PARA A INTERPRETAÇÃO GRAMATICAL

 

1. Auxílios Externos Valiosos.

 

Os auxílios externos para a interpretação gramatical da Escritura (incluindo a lógica), compreendem os seguintes:

 

a. Gramáticas

 

  1. Para o estudo do Antigo Testamento: Ewald, Gesenius-Kautzsch, Green, Wilson, Davidson, Harper, Noordtzij.

 

  1. Para o estudo do Novo Testamento: Winer (inglês: Winer-Moulton e Winer-Thayer), Buttmann (inglês: Buttmann-Thayer), Blass, Moulton, Robertson, Robertson-Grosheide.

 

b. Léxicos

 

  1. Para o Antigo Testamento: Gesenius-Buhl (tradução para o inglês de uma edição antiga de Gesenius por Tregelles), Fuerst, Siegfried-Stade, Koenig, Brown, Driver e Briggs.

 

  1. Para o Novo Testamento: Robinson, Thayer, Harting (holandês), Abbott- Smith, Souter, Cremer (Biblisch-Theologisches Woerterbueh, 10a ed. por Koegel, trad. para o inglês da quarta edição), Baljon, Grieksch-Theologisch Woordenboek.

 

c. Concordâncias

 

  1. Para o Antigo Testamento: Fuerst, Mandelkem (ambas têm o texto hebraico).

 

  1. Para o Novo Testamento: Brueder (baseado no Textus Receptus), Moulton e Geden (baseado no texto de Westcott e Hort). Ambas têm o texto grego.

 

  1. Geral: Trommius (holandês), Cruden, Walker, Strong, Young (todas têm o texto inglês).

 

d. Obras especiais

 

  1. Sobre o Antigo Testamento: Driver, Hebrew Tenses; Adams, Sermons in Accents\ Geden, Iníroduction to the Hebrew Bible\ Girdlestone, Old Testament Synonyms\ Kennedy, Hebrew Synonyms.

 

  1. Sobre o Novo Testamento: Burton, Moods and Tenses\ Simcox, The Language of the New Testament, Simcox, The Writers of the New Testament, Trench, New Testament Synonyms: Dalman, The Words of Jesus-, Dalman, Jesus-Joshua; T. Walker, The Teaching of Jesus and the Jewish Teaching ofHis Age; Deissmann, Light from the Ancient East; Deissmann, Biblical Studies; Robertson, The Minister andHis GreekNew Testament; Moulton e Milligan, The Vocabulary of the Greek Testament.

 

e. Comentários

 

  1. Sobre o Antigo Testamento: Comentários de Calvino; Keil e Delitzsch; Strack e Zoekler; Comentário de Lange; The International Criticai Commentary; Jamieson, Fausset, e Brown; Cambridge Bible\ Korte Verklaring (vários autores); e Comentário de livros separados por Delitzsch, Hoedemaker, Spurgeon, Kok, Sikkel, Alexander, Hengstenberg, Greenhill, Flenderson, Pusey, Aalders, YoungeLeupold.

 

  1. Sobre o Novo Testamento: Comentários de Calvino; Comentário de Lange; Meyer (a edição mais recente por J. Weiss é realmente uma obra nova); The International Criticai Commentary-, Zahn; Alford; Expositor ’s Greek Testament-, Jamieson, Fausset, e Brown; Cambridge Bible\Korte Verklaring-, Kommentaar op het Nieuwe Testament, por Grosheide, Greydanus e outros (edição Bottenburg); Erdman, Lenski; Notas de Barnes; e Comentários de livros separados por Ellicott, Lightfoot, Eadie, Brown, Stuart, Westcott, Swete, Mayor, Lindsay, Owen, Beckwith, Godet, Van Andei, Barth, De Moor, e outros.

 

2. O Uso Correto dos Comentários.

 

Podemos acrescentar algumas notas a respeito do uso adequado dos comentários.

 

  1. Ao procurar explicar uma passagem, o intérprete não deve recorrer imediatamente ao uso dos comentários, uma vez que isso pode impedir toda a originalidade no início, envolver uma grande quantidade de trabalho desnecessário, e ainda resultar numa confusão inútel. Ele deve, primeiramente, interpretar a passagem independentemente, com todo o auxílio interno disponível e auxílio externo tais como as Gramáticas, as Concordâncias e os Léxicos.

 

  1. Se, depois de fazer um estudo original da passagem, ele sentir que precisa consultar um ou mais comentários, deve evitar os chamados comentários práticos, por melhores que sejam, uma vez que esses almejam a edificação em vez da interpretação científica.

 

  1. Seu trabalho será bastante facilitado se ele abordar os Comentários, tanto quanto possível, com questões definidas na mente. Isso só será possível depois de um certo tempo de estudo original preliminar que o fará ganhar tempo uma vez que eliminará a necessidade de se ler tudo o que os comentários têm a dizer sobre a passagem em consideração. Além do mais, quando ele consulta os comentários com uma certa linha de pensamento em mente, estará mais bem preparado para escolher entre as opiniões conflitantes que pode encontrar.

 

  1. Caso tenha sucesso em dar uma explicação aparentemente satisfatória sem a ajuda de comentários, é aconselhável que compare sua interpretação com a de outros. E, se descobrir que sua interpretação é contrária à opinião geral em algum ponto particular, deve ter a sabedoria de cobrir cuidadosamente aquele campo mais uma vez para ver se considerou todos os dados e se suas inferências estão corretas em cada aspecto. Ele pode detectar algum erro que irá compeli-lo a rever sua opinião. Mas se achar que cada passo que deu está bem fundamentado, então deve sustentar sua interpretação a despeito de tudo o que os comentaristas possam dizer.

 

Fonte:

Princípios de Interpretação Bíblica – Louis Berhkof – Editora Cultura Cristã